Fundação Renova

Moradores de Cachoeira Escura e Pedra Corrida já podem agendar atendimento para o PIM Água

Publicado em: 28/04/2017

Indenizações

A previsão é que cerca de 11 mil novos processos indenizatórios sejam iniciados e concluídos nos próximos meses

Os moradores de Cachoeira Escura, no distrito de Belo Oriente, e de Pedra Corrida, no distrito de Periquito, já podem agendar atendimento para o processo de indenização pela interrupção no abastecimento e distribuição de água. O agendamento pode ser feito via Central de Relacionamento (0800 031 2303) ou nos Centros de Informação e Atendimento dos distritos.

Após o agendamento, os moradores serão atendidos nos Centros de Indenização Mediada, que estão sendo implantados em ambas as comunidades e entrarão em operação até o dia 15 de maio. A previsão é de que, com a abertura do agendamento nos dois distritos, cerca de 11 mil novos processos indenizatórios sejam iniciados e concluídos nos próximos meses.

Moradores de Cachoeira Escura e Pedra Corrida já podem agendar atendimento para o processo de indenização pela interrupção no abastecimento e distribuição de água.

Moradores de Cachoeira Escura e Pedra Corrida já podem agendar atendimento para o processo de indenização pela interrupção no abastecimento e distribuição de água. | Foto: Marcus Desimoni / NITRO

De acordo com o coordenador da segunda etapa do Programa de Indenização Mediada para Indenização pela Interrupção no Abastecimento e Distribuição de Água (PIM Água), Deivisson da Silva Campos, o atendimento será no novo formato, que dá mais agilidade ao processo. Será necessária apenas uma reunião para a apresentação dos documentos que serão devidamente informados no momento do agendamento, a assinatura do Termo de Conciliação e o recebimento do cartão para o posterior depósito. “O objetivo é conferir mais agilidade ao processo. Vale ressaltar, porém, que, mesmo após a assinatura do Termo, é possível pedir o cancelamento do acordo em um prazo de cinco dias corridos”, explica.

Segundo o coordenador, um dos possíveis gargalos neste processo é a comprovação da residência. “Estamos buscando formas de facilitar a comprovação da moradia para que nenhum impactado fique sem receber o benefício por falta de apresentação de documentos. Elaboramos uma matriz de comprovação bem detalhada e contamos com o suporte das assistentes sociais, que conseguem fazer consultas nos cadastros dos programas federais, como o Saúde da Família e o CAD Único”, acrescenta.

Deixe seu comentário