Fundação Renova

Projeto de criação de abelhas sem ferrão abre inscrições para famílias de comunidades em Linhares (ES)

Publicado em: 16/09/2021

Linhares

As inscrições e capacitações são gratuitas e o projeto é uma oportunidade para fortalecer e incentivar a geração de renda  e conservação da biodiversidade na região

 

Moradores de cinco localidades de Linhares, na foz do rio Doce, no Espírito Santo, podem se inscrever para a seleção de interessados em atuar com as atividades de meliponicultura, no projeto de criação de abelhas sem ferrão. Ao todo, cerca de 80 famílias impactadas nas comunidades de Regência, Povoação, Areal, Entre Rios e Degredo poderão ser contempladas.

São disponibilizadas até 16 vagas por comunidade. Os interessados devem se inscrever por meio do WhatsApp (11) 99817-6358. As inscrições estarão abertas até dezembro ou enquanto durarem as vagas.

O projeto “Meliponicultura na Foz” é um projeto da Fundação Renova e tem como objetivo desenvolver e implementar um projeto de geração de renda para 80 famílias (diretamente e indiretamente impactadas), a partir da criação, produção de mel e derivados (própolis, pólen etc.) de abelhas nativas sem ferrão nas comunidades de Regência, Povoação, Areal, Entre Rios e Degredo, na Foz do Rio Doce, em atendimento às cláusulas 130 do TTAC. A empresa contratada para a sua execução é a TETRA+ Consultoria, e o projeto tem uma duração de dois anos.

Os participantes receberão treinamentos gratuitos e contarão com o acompanhamento de profissionais experientes para iniciarem as atividades.

“O projeto é uma oportunidade para quem deseja ter uma fonte de renda com a comercialização de produtos beneficiados como mel, própolis, cera e pólen, ou até mesmo a venda ou aluguel das colmeias”, explica Kadio Serge Aristide, analista de Programas Socioeconômicos da Fundação Renova.

 

Atividade sustentável

A meliponicultura é uma atividade sustentável de criação de abelhas nativas sem ferrão destinada à produção de mel e derivados, preservação das espécies e conservação da biodiversidade. A escolha das abelhas sem ferrão, diferentemente da apicultura, levou em consideração a vocação da região, a segurança dos produtores e a facilidade de manipulação. A produção também pode ser feita em área urbana, e o mel produzido por essa espécie é considerado de excelente qualidade e de alto custo-benefício no mercado.

As abelhas são as principais responsáveis pela polinização das plantas, e as espécies nativas sem ferrão, por serem originárias do nosso ecossistema, são muito mais eficientes na polinização das matas que abelhas exóticas. Biologicamente, as abelhas sem ferrão são mais adaptadas às nossas flores e as fertilizam com mais facilidade e eficiência, acelerando o processo de recuperação ambiental.

O mel das abelhas sem ferrão também é valorizado pela gastronomia, uma vez que esse ingrediente tem mais acidez e mais nuances de aromas e sabor. Em um cenário de resgate e valorização de ingredientes brasileiros, os produtos das abelhas nativas foram adotados por grandes chefs e gradativamente vêm ganhando espaço na casa dos brasileiros.

 

Serviço

Projeto: Criação de abelhas sem ferrão (meliponicultura)

Localidades: Regência, Povoação, Areal, Entre Rios e Degredo, em Linhares (ES)

Inscrições: WhatsApp (11) 99817-6358

Prazo: vagas limitadas e abertas até dezembro/2021

Este conteúdo foi útil para você?

Deixe seu comentário