Fundação Renova

9 – Recuperação do reservatório da UHE Risoleta Neves

Objetivo do programa

Restabelecimento das condições de operação da Usina Hidrelétrica Risoleta Neves por meio da implantação de ações de desassoreamento na área de alagamento da hidrelétrica e de reparo de infraestrutura.

Progresso do programa

• Atividades em campo paralisadas desde 20/03/2020, devido à pandemia do novo coronavírus.
• A partir das árvores de decisão de retomada dos serviços que foram aprovadas, as seguintes frentes foram retomadas: pilha 01, montagem de canteiro, encosta da jusante do dique, manutenção de acessos e geotecnia.
• Início do restauro da Fazenda Floresta, com mobilização da equipe da contratada começando logo após o kick off meeting realizado.
• Elaboração do planejamento estratégico, considerando os principais assuntos referentes ao Programa, como por exemplo: Licenciamento, Estruturas Geotécnicas, Dragagem, Due Diligence etc.
• Projetos de dragagem, desaguamento e tratamento sendo elaborados.
• Remoção de materiais remanescentes de obras, que estão sendo estocados no Setor 11.
• Elaboração de cronograma para revegetação (PRAD - Plano de Recuperação de Áreas Degradadas) do Programa de Gestão Ambiental, considerando duas etapas: período chuvoso 2020/2021 e período chuvoso após conclusão da dragagem.
• Resposta aos questionamentos do Consórcio Candonga, sobre o adendo ao projeto básico e celebração do aditivo contratual do Consórcio com a empresa Intertechne relativo ao Pacote 4 (onde as sondagens estão inseridas).
• Manutenção de acessos realizada e roçada do acesso principal.
• Realização do monitoramento dos instrumentos e estruturas, conforme cronograma de acompanhamento, não encontrando anomalias que comprometam a estabilidade das estruturas.

• Entrega do Setor 8.
• Atividades em campo paralisadas desde 20/03/2020, devido à pandemia do coronavírus.
• Planos de retomada de cada frente apresentados e em avaliação pela Fundação Renova. Frentes já liberadas para execução das atividades: patrulha de emergência da Cesbe, equipe de emergência da Mayrink Neto e aerolevantamento.
• Elaborados cenários para planejamento pós-pandemia, considerando: Licenciamento, Pacote 1 (obras necessárias para dragagem, para enchimento do reservatório e demais obras de infraestrutura), Pacote 2A (dragagem dos sedimentos), Pacote 3 (reabilitação da Usina Hidrelétrica UHE – recuperação das Unidades Geradoras UGs) e Plano de Enchimento (reforço dos blocos).
• Manutenção de acessos realizada.
• Roçada do acesso principal e capina de drenagens.
• Projeto para execução do bueiro do lava rodas elaborado e cerca no local reconstruída.
• Alteamento na parte mais baixa do reservatório de contribuição do córrego Micaela.
• Monitoramento dos instrumentos e estruturas, conforme cronograma de acompanhamento.

• Concluídas as intervenções no Setor 8.
• Autorização de sondagem externa na UHE para elaboração do projeto executivo de reforço dos blocos.
• Caracterização do meio fraturado para o entendimento da direção das fraturas, que podem representar caminhos preferenciais para a água subterrânea.
• Verificação dos piezômetros posicionados a jusante do dique do setor 4, que apresentam cargas maiores dos que os de montante.
• Mobilização da CESBE em andamento.
• Manutenção de acessos.
• Término do plantio braquiária no Setor 8.
• Estudos feitos para a implantação da proteção jusante do Barramento C e da recomposição das erosões ocorridas nas margens direita e esquerda do rio nesta região.
• Nas seguintes frentes, listadas no Memorial Descritivo – TAC Fazenda Floresta, já houve intervenção: pilha 01 (parcial), adequação da bacia 2A, extravasor da bacia 2B, descomissionamento do setor 01, descomissionamento do setor 05B, pontos 91 de margens, aterro experimental, pilha temporária, encosta da jusante do dique principal e pedreira Corsini.
• Apresentação da petição em juízo referente ao processo de formalização do licenciamento ambiental de Candonga, com a apresentação de todos os documentos especificados na Nota Jurídica da SUPPRI.
• Execução de inspeção nos poços de esgotamento e drenagem onde se constatou que o volume de material depositado é reduzido, a saber: poço de drenagem 30,0m³ de resíduo, poço de esgotamento 12,2 m³ e poço auxiliar 1,0 m³.
• Finalizada a montagem do canteiro de obras para reabilitação da UHE.
• Atividades em campo paralisadas em 20/03/2020, devido à pandemia do novo coronavírus.

• Realizada visita de inspeção da empresa Andritz nas instalações da Usina Hidrelétrica Risoleta Neves, onde não foi constatada nenhuma irregularidade adicional aos itens já diagnosticados. As atividades de campo terão início em março de 2020.
• Recuperação das ombreiras direita e esquerda do barramento C, impactadas pelas chuvas.
• Recuperação do acesso ao barramento C, impactado pela chuva.
• Manutenção de avarias no extravasor, após forte período de chuva.
• Manutenção no gabião da bacia 2A.
• Continuidade na execução do gabião da bacia 2B e bacia 1.
• Manutenção das drenagens superficiais no setor 11.
• Execução de cerca e bioengenharia no setor 08.
• Execução de bioengenharia no ponto 166.
• Início da mobilização da empresa CESBE para execução dos serviços de infraestrutura.

• Limpeza à jusante do bueiro no setor 4, após forte período de chuva.
• Continuidade na execução dos gabiões da bacia 1 e bacia 2B.
• Conclusão do reforço em gabião na bacia 2A.
• Execução de bioengenharia nos taludes descobertos no setor 8.
• Execução de bioengenharia nos pontos 164 e 165.
• Execução de aterro compactado no ponto 116.
• Execução de bioengenharia nos pontos 156, 157 e 166.
• Conclusão da dragagem da caixa espiral da unidade geradora UG1.
• Realizado o Kick Off Meeting (KOM) com a empresa Andritz, para início dos trabalhos de reabilitação das unidades geradoras, com a participação da Aliança, Fundação Renova e Consórcio Candonga.
• Retaludamento e manutenção de drenagem no setor 8.

Conclusão da limpeza interna do tubo de sucção da unidade geradora 02.
Drenagem da unidade geradora 03.
Conclusão das obras de readequação do Sistema de Proteção Combate a Incêndios (SPCI) da UHE.
Adendo ao projeto básico protocolado no Consórcio Candonga 100%.
Retomada das ações de dragagem prevista para 2019 não foi realizada. Causas: Mudança no volume a ser dragado e toda engenharia do processo de dragagem. Contramedidas: Concluir estudo do volume a ser dragado e definir qual estratégia a ser utilizada para retirada do rejeito.
Descomissionamento dos setores, recuperação dos pontos das margens, contenção das estruturas de rejeito e tratamento de efluente da Fazenda Floresta previstos para 2019 não foram concluídos. Causas: Definidas novas soluções de engenharia para o descomissionamento dos setores, recuperação das margens e retirada do rejeito depois do rompimento da barragem de Brumadinho/MG com publicação da lei Nº 23.291, de 25 de fevereiro de 2019, sendo necessário licenciamento para barragens que tenham as seguintes características: I — altura do maciço, contada do ponto mais baixo da fundação à crista, maior ou igual a 10m (dez metros); II — capacidade total do reservatório maior ou igual a 1.000.000m³ (um milhão de metros cúbicos). Contramedida: Licitar empresa para execução dos serviços de infraestrutura em 2020 com início após o plano de chuvas.
Limpeza das unidades geradoras da UHE, prevista para 2019, não foi concluída. Causas: Dificuldade em retirar o material heterogêneo depositado dentro das unidades geradoras, equipamentos de bombeamento, imprecisão sobre o volume a ser limpo e metodologia implantada inicialmente não foram as mais eficientes. Contramedidas: Solicitar aditivo contratual a empresa Allonda para que ocorra a execução dos serviços de limpeza das unidades geradoras da UHE em dois turnos e locar bombas específicas para a dragagem de rejeito (concluídos).

• Alinhamento de perfis metálicos, posicionamento das placas premoldadas e montagem das armações para execução da ponte em Rio Doce/MG.
• Retaludamento da crista do talude e abertura de drenagem – Setor 8.
• Continuidade na execução da cortina atirantada no ponto 115.
• Confecção da planta topográfica da área onde será construído o Parque Urbano em Rio Doce/MG.
• Descida do stoplog 2 da Unidade Geradora – UG1.
• Continuidade na limpeza do conduto forçado e caixa espiral da Unidade Geradora - UG2.
• Concluída drenagem da caixa espiral da Unidade Geradora – UG3.
• Drenagem do tubo de sucção na Unidade Geradora - UG3.
• Dragagem do stoplog 3, limpeza e jateamento da caixa espiral da Unidade Geradora – UG3.
• Início da execução de muro gabião na Bacia 2, em atendimento ao plano de chuvas 2019/2020.
• Reforço do Barramento C foi paralisado no dia 25 de outubro, e trabalhos foram retomados no dia 07 de novembro.
• Realizado mensalmente o diálogo de Segurança e Meio Ambiente, com todos funcionários da obra no Espaço Multiuso - Rio Doce/MG.
• Continuidade no lançamento e aplicação de manta geotêxtil nos taludes internos da bacia 2A.
• Execução de pequenas Estações de Tratamento de Esgoto, “mini-ETEs” e “barraginhas” em propriedades no Córrego das Lajes/MG.
• Simulado de emergência na comunidade de Merengo – Santa Cruz do Escalvado/MG.
• Simulado de emergência na comunidade de Santana do Deserto – Rio Doce/MG.
• Realizado Kickoff com empresa Allonda para execução de laudo de estabilidade e documentação do Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) do dique do Setor 4.
• Continuidade das atividades referentes ao período chuvoso 2019/2020: limpeza de drenagens, roçada, capina e manutenção dos setores – Empresas Mayrink Neto/Piacentini.
• Conclusão da limpeza da unidade geradora UG-02.

• Início das sondagens das casas a serem recuperadas em Santana do Deserto.
• Continuidade na execução do ponto 115 pela empresa Progeo.
• Início das obras de construção da nova ponte em Rio Doce, próximo à Prefeitura Municipal.
• Execução de pequenas Estações de Tratamento de Esgoto, “mini ETEs” e “barraginhas” em propriedades no Córrego das Lajes.
• Conclusão das limpezas dos SUMPs no setor 11 (Sistema de Bombeamento).
• Conclusão da drenagem da bacia 2.
• Início dos trabalhos para reforço interno da bacia 2.
• Conclusão das instalações das Estações Pluviométricas no setor 11 e no Areal.
• Concluído reparo da ranhura do stoplog 01 e instalação da comporta stoplog da Unidade Geradora UG-01.
• Continuidade da limpeza do conduto forçado e caixa espiral da Unidade Geradora UG-02.
• Aprovação da APRO para aditivo do contrato e inclusão de equipes para trabalho simultâneos e em dois turnos de bombeamento.
• Revisão do procedimento operacional para conclusão da limpeza do tubo de sucção, através de equipes de mergulho.
• Conclusão das obras de readequação do Sistema de Proteção Combate a Incêndios (SPCI) na Usina Risoleta Neves.
• Instalação de instrumentos de monitoramento no setor 8, pela empresa Fugro.
• Continuidade das atividades referentes ao período chuvoso: limpeza de drenagens, roçada, capina e manutenção dos setores, com as empresas Mayrink Neto e Piacentini.
• O reforço do barramento C continua paralisado e aguardando definições pela SEMAD (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável).

• Conclusão da limpeza das tomadas d’água e instalação dos novos conjuntos de comporta stoplog da Unidade Geradora UG-01.
• Início da instalação da chapa guia para reparo da ranhura do stoplog 01 da Unidade Geradora UG-01.
• Continuidade dos serviços de limpeza da Unidade Geradora UG-02.
• Continuidade das obras de readequação do Sistema de Proteção e Combate a Incêndios na Usina Risoleta Neves.
• Continuidade das atividades referentes ao período chuvoso: limpeza de drenagens, roçada, capina e manutenção dos setores — pelas empresas Mayrink Neto/Piacentini.
• Verificação e manutenção dos instrumentos de monitoramento em toda a obra.
• Locação da poligonal para verificação de supressão vegetal nos pontos 147 e 148.
• Manifestações da comunidade impediram o acesso da equipe à obra durante 21 dias. Acesso foi liberado no dia 18/09.
• Paralisação do reforço do Barramento C pela SEMAD (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável).

• Injeção de calda de cimento na ombreira direita – Barramento C (Empresa Piacentini).
• Finalização do levantamento topográfico da ADME 02 (área de depósito de material excedente).
• Conclusão das obras de recuperação de margem no ponto 115.
• Início das atividades referentes ao período chuvoso: limpeza de drenagens, roçada, capina e manutenção dos setores – Empresas Mayrink Neto/Piacentini.
• Verificação e manutenção dos instrumentos de monitoramento em toda obra.
• Continuação do levantamento planialtimétrico do distrito de Taperá.
• Emissão de ordem de serviço (OS) para execução dos pontos de recuperação das margens 119, 120, 147 e 148.
• Início da drenagem das bacias 1 e 2 em preparação ao período de chuva.
• Verticalização das comportas da tomada d’água e ajustes finais das vedações, sendo que ficou a cargo da Usina de Candonga a descida das comportas nas tomadas d’água.
• Conclusão da retirada do corte da ranhura da guia do Stop Log L02. A concretagem será feita após a empresa Spec elaborar a especificação de concretagem submersa.
• Continuação da limpeza do tubo de sucção da UG-02 (limpeza interna).
• Concluída a drenagem da UG-03, constando o bom o funcionamento das vedações das comportas à jusante.
• Finalização das sondagens do lava rodas e continuação da retirada de amostras embarcadas nos 400 m da Usina Risoleta Neves.
• Implantação de redutores de velocidade e sinalização de advertência no segmento de 800 m do início do trecho do entroncamento com MG-120 até o lava rodas.
• Manifestações da comunidade impediram o acesso da equipe à obra nos dias 29, 30 e 31 de agosto.

• Emitida ordem de serviço para empresa CESBE para execução da infraestrutura do Setor 11 (Fazenda Floresta). Previsão de mobilização em agosto/2019.
• Pavimentação asfáltica de 800m de (CBUQ) Concreto Betuminoso Usinado à quente no acesso principal BR MG-120 até o Lava Rodas.
• Conclusão das limpezas do Stop Log 01 e 02 da Unidade Geradora UG03.
• Início da limpeza do tubo de sucção da UG-02 (Limpeza interna).
• Recebimento dos cavaletes de verticalização das comportas stop log das tomadas d’água da UHE Risoleta Neves.
• Drenagem da Unidade Geradora UG03.
• Reunião de apresentação da empresa CESBE às Prefeituras Municipais de Santa Cruz do Escalvado e de Rio Doce para definição de estratégia de contratação local.
• Implantação dos marcos de monitoramento nas margens direita e esquerda do Barramento "C".
• Implantação e rastreamento dos marcos de monitoramento do Barramento "A“.
• Limpeza e manutenção das drenagens no Setor 11.
• Reunião com a SEMAD (Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) e CT Rejeitos para entendimento da emissão da Licença de Operação Corretiva (LOC).
• Definido pelas mantenedoras e diretoria da Fundação Renova protocolar o Cronograma oficial do Programa PG-09 – Recuperação UHE Risoleta Neves desconsiderando o entendimento da SEMAD e assumindo que o TAC permite início das obras neste ano.
• Apresentação do projeto e cronograma oficial do PG-009 - Recuperação UHE Risoleta Neves ao CIF e nas CTs Infraestrutura e Manejo de Rejeitos.
• Cadastro dos furos de sondagem na pilha 1 e pilha 2 no Setor 11.
• Retomadas das atividades no site de Candonga devido à descontinuidade das manifestações de Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado a partir de 22/07.
• Manifestações da comunidade impediram o acesso da equipe à obra (margem direita) durante 15 dias em julho.

• Reunião de kickoff (Pacote 01) com a empresa CESBE. Mobilização da empresa prevista para julho/2019 para execução inicial da infraestrutura do Setor 11 (Fazenda Floresta).
• Perfuração do poço artesiano do campo de futebol em Santana do Deserto.
• Início do inventário florestal para instalação da rede de esgoto da ETE em Santana do Deserto.
• Continuação das limpezas das ranhuras e comissionamento das comportas de montante das Unidades Geradoras.
• Início das sondagens embarcadas e continuação das sondagens na área de desaguamento (ensecadeira).
• Determinadas coordenadas para perfuração do poço artesiano do novo canteiro da Fundação Renova.
• Manifestação da comunidade impediu o acesso da equipe à obra durante 15 dias.

• Contratação de empresa para execução do Pacote 1, com mobilização prevista para iniciar em jun/2019.
• Drenagem e abertura da escotilha para execução da limpeza da sucção e do conduto forçado da Unidade Geradora (UG2).
• Continuação da limpeza das ranhuras e comissionamento das comportas de montante das Unidades Geradoras.
• Continuação das sondagens na área de desaguamento (ensecadeira).
• Início da Vistoria Cautelar em Santana do Deserto. Foram visitadas seis casas e a igreja, pelas equipes da AECOM, PROGEN, H&P, RETA e Defesa Civil.
• Relocação da rede elétrica do Setor 08 pela empresa ENGELIG.
• Autorizada pela Prefeitura Municipal de Rio Doce a perfuração do poço tubular para consumo humano em Santana do Deserto.
• Manifestação da comunidade de 9 a 20/05 impediu o acesso da equipe à obra.

• Desmobilização da Draga B50 e tubulações de drenagem PEAD, pela empresa Allonda.
• Continuação das limpezas das ranhuras e comissionamento das comportas de montante das Unidades Geradoras.
• Apresentado plano para retirada de sedimentos no Setor 4 pela Engenharia (Walm). A solução foi analisada e comentada pela equipe de Obras e está em análise pela Engenharia.
• Apresentado plano para Descomissionamento da Pedreira Corsini pela Engenharia (Walm).
• Enviados pela Engebio projetos para reforma da Fazenda Floresta (em análise pela equipe de Obras).
• Apresentados Projetos Conceituais do Quartel e Centro de Fisioterapia pela Prefeitura de Rio Doce. O projeto do Centro de Fisioterapia foi aprovado. O projeto do Quartel foi comentado pela corporação e será revisado pela Engenharia.
• Revisão da RT do pacote 1, em consolidação ao Masterplan e planejamento detalhado do complexo Candonga.
• Finalização dos furos de sondagem das Bacias, início das sondagens na área de desaguamento (ensecadeira).
• Início das atividades do ATO da SPEC para análise e entendimento das demandas para retomadas das atividades de drenagem da UG2, incluindo revisão de procedimento e acompanhamento em obra.
• Levantamento de pontos potenciais para implantação de ADME (área de disposição de materiais excedentes). Avaliação de desempenho ambiental das contratadas referentes ao período de abril.

Dragagem de 959.382 m³.
Implantação de três estruturas de estaca prancha dentro do leito do rio Doce (Barramento Metálicos A, B e C) que estão sob monitoramento. Foram realizadas 533 vistorias (86%), do total estimado de 621 propriedades, universo mapeado até o dia 28/02/19. Previsão de conclusão em 29/03/2020.
Instalação de estruturas para tratamento de efluentes (Bacias 1, 2A e 2B).
Implantação de estruturas para período chuvoso na Fazenda Floresta/Setor 11.
32 pontos entregues dos 79 previstos para recuperação das margens do reservatório.

Atividades de monitoramento e inspeção das estruturas: Barramento A, Barramento B, Barramento C, Setor 4, Pedreira Corsini, Bacia 1, Bacia 2 e Dique Principal.
Execução de sistema de drenagem de pé para medição de vazão no Setor 8.
Instalação do sistema de monitoramento (postes e equipamentos) para colocação de câmeras no site.
Realizada as obras de: reforma nas edificações da Fazenda Floresta; recuperação de margens, estaqueamento do barramento A e limpeza da UHE (instalação dos stoplogs montante e jusante).
Realizada perícia nas casas do município de Santana do Deserto (MG).
Visita em campo e reunião com a SEMAD e IBAMA e autorização para manutenção da Bacia 1 como estrutura de segurança do sistema.
Etapa de revisão das propostas técnica e comercial das proponentes das obras de infraestrutura (Pacote 1) do Complexo Fazenda Floresta.
Elaboração da documentação técnica (QQP e RT) para contratação das obras do sistema de dragagem do reservatório da UHE.
Elaboração da documentação técnica (QQP e RT) para contratação das obras de automação da ETA e transbordo no município de Rio Doce (MG).
Assinatura do TAC em 18/02/2019, junto à SEMAD.
Definida a solução de engenharia para a área do dique principal, sistema de desaguamento natural e retorno da dragagem.

Prefeitura de Santa Cruz do Escalvado: reunião realizada em 5/12/18, em que foi feita avaliação preliminar dos pleitos e a Fundação Renova solicitou informações mais detalhadas para avançar com a análise. Ficou definido que a Fundação e o município trabalharão em conjunto no detalhamento dos pleitos (grupo de trabalho). Realizada vistoria na ETE (Estação de Tratamento de Esgoto).
Reunião com comissão dos atingidos em 11/12/18, na qual a Fundação Renova falou sobre o andamento das atividades desenvolvidas no Programa.
Projeto VimVer em Candonga: realizado o primeiro encontro em Candonga com a participação da comunidade de Santana do Deserto.
Limpeza nos diques e SUMPs assoreados (bacias de contenção), melhorias nas estruturas de drenagem pluvial (setor 11), obras de reforma nas edificações da Fazenda Floresta, instalação de postes de iluminação, recuperação da margem 115, execução da estaca raiz do barramento A e instalação e montagem de equipamentos para limpeza da Unidade Hidrelétrica.
A Fundação Renova realizou visita nas Estações de Tratamento de Água de Rio Doce/Novo Soberbo para elaboração de diagnósticos para possíveis melhorias no processo.

Conclusão das atividades de preparação para o período chuvoso 2018/2019. Obras concluídas: instalação do bombeamento e tubulação da região da Pilha de Rejeito; extravasor provisório; drenagem da área de Bota Fora; alas de proteção da ombreira direita do Barramento A (solução provisória); SUMPs e drenagem da Pedreira Corsini.
Monitoramento das estruturas em fase inicial de operação.
Realizadas inspeções visuais em seis casas de Santana do Deserto, consideradas críticas, nas quais concluiu-se não haver riscos de estabilidade para o período chuvoso. Elas serão monitoradas, ao longo deste período para não causar riscos à comunidade. Está em mobilização empresa especializada para realizar perícia técnica dessas edificações.
Está sendo realizada melhoria do acesso ao campo de futebol de Rio Doce.
Foi dado apoio e intervenções emergenciais foram feitas em Rio Doce devido às chuvas ocorridas em dezembro.
Em andamento, projeto de restauração da sede da Fazenda Floresta.

Atividades do plano para o período chuvoso 2018/19 concluídas em novembro/18: recomposição de jusante do Barramento C; drenagem do Setor 8; bioengenharia na região entre diques; Setor 04; serviços na área do bota-fora de rejeito — Pilha 01; colchão Reno e enrocamento das ombreiras no Barramento C; segunda etapa do contrapilhamento na área do dique intermediário; instalação do bombeamento e tubulação da região do aterro experimental e do dique principal.

Realizado simulado de emergência de evacuação da população com as comunidades de Santana do Deserto (Rio Doce) e Merengo (Santa Cruz do Escalvado) em 10/11.

Retorno de reuniões quinzenais da Fundação Renova junto a representante da Prefeitura de Rio Doce para alinhamento e atualização das demandas.

Os trabalhos na Fazenda Floresta para fechamento das ações do plano para o período chuvoso estão em andamento. Os principais desafios são o vertedouro provisório e a construção das alas de proteção da ombreira direita do Barramento-A, com previsão para conclusão em nov/18.

Apresentamos algumas obras concluídas em outubro/18: dique de contenção de finos (dique 1.B / Pilha 1); passagem molhada; dique principal até a elevação 366m; envelopamento do aterro experimental; monitoramento dos Barramentos A e B; SUMP Aterro Experimental; 1ª etapa do contrapilhamento; vertedouro pré-moldado; dique Micaela; retaludamento da ombreira direita do dique intermediário.

Realizado teste com sirenes de emergência na UHE Risoleta Neves no dia 03/10 para simulação preventiva de emergência.

Manifestações ocorridas em 17, 24 e 25/09 bloqueando acessos a obra, impactando o cronograma geral e a conclusão das atividades para o período chuvoso.
Retorno das atividades de exploração da Pedreira Corsini em 17/09, após paralisação pelo DNPM em 29/08.
Continuam em andamento as ações do plano para o período chuvoso 2018/2019.

Manifestações ocorridas em 13, 14, 15, 21 e 22/08 bloqueando acessos a obra, impactando o cronograma geral e a conclusão das atividades para o plano para o período chuvoso. DNPM suspendeu a lavra da Pedreira Corsini que foi adquirida pela Fundação Renova para fornecimento de pedra. Agendada reunião com o órgão para 06/09. Já estão em implementação as ações do plano para o período chuvoso 2018/2019.

01/07 - Iniciado processo de britagem de pedra extraída da Pedreira Corsini na Fazenda Floresta. Material está sendo utilizado no enrocamento do Dique Principal.

10/07 - Protocolado o Plano de enchimento do reservatório da UHE Risoleta Neves na CIF e CT Rejeitos.

Dique Intermediário – Esclarecimento aos órgãos públicos e comunidades:

Após a ocorrência da falha geológica na ombreira esquerda do dique intermediário, ocorreram questionamentos* por parte da Associação de Atingidos de Barra Longa sobre ter havido a ruptura de uma estrutura da Fazenda Floresta, ocorrendo vazamento de sedimentos na área.

Ações da Fundação Renova para esclarecimento à comunidade e aos órgãos públicos:

✓ envio de ofício para a Associação de Atingidos de Barra Longa, Casa Civil do Estado de Minas Gerais e SEMAD com esclarecimentos sobre a ruptura em 24/07/18;
✓ realizadas visitas técnicas monitoradas na Fazenda Floresta em 24 e 25/07/18, com representantes da Fundação, SEMAD, Defesa Civil de Rio Doce, Corpo de Bombeiros e Comissão de Atingidos de Barra Longa, não havendo questionamentos adicionais;
✓ divulgação de uma nota de esclarecimento que será publicada, na semana de 30/07 a 03/08/18, em jornais e site da Fundação.

Foi instalado no período sistema de radar para realizar o monitoramento da estabilidade nos diques intermediário e principal. Uma equipe de geofísica também foi mobilizada para esse trabalho.

Em junho, o volume de dragagem foi de 15.755m3 para setor 5. O valor previsto no cronograma era de 20.000m3.

Continuou sendo realizada no dique principal a atividade de alteamento com blocos para atingir a elevação do material argiloso. Essa ação é necessária para que as obras da Fazenda Floresta não sejam afetadas durante o período chuvoso de 2018 e 2019. Além disso, foi mantida a paralisação do aterro de argila, até que as condições necessárias sejam consolidadas.

No período também foi necessário paralisar as obras por questões de segurança, devido à instabilidade e registro de trincas na ombreira esquerda no dique intermediário.
A equipe formalizou, junto à Câmara Técnica de Rejeitos e Segurança Ambiental, o início da dragagem para a bacia 2 na Fazenda Floresta. A ação cumpre o marco do cronograma que foi protocolado em maio de 2018.

Em junho foram, ainda, feitas atividades de recuperação de pontos das margens do reservatório. Também seguem em andamento os trabalhos de descomissionamento dos setores 3 e 4.

O planejamento e definição de indicadores para o Projeto Candonga foi protocolado, em 24 de maio, na Câmara Técnica de Rejeitos e no CIF. No entanto, dois pontos ainda estão pendentes: o Plano de Enchimento do reservatório, que será consolidado até julho, e o descomissionamento do Setor-4, que será concluído após o enchimento do reservatório.

Já o processo de contratação da empresa para reabilitação das unidades geradoras da Hidrelétrica está em andamento. Outra atividade que segue sendo conduzida é a composição das condicionantes dos licenciamentos, trabalho sendo feito juntamente com a Prefeitura Municipal de Rio Doce.

Foi necessário paralisar temporariamente, no entanto, a obra da ombreira esquerda do dique intermediário. A atividade estava demandando maior escavação e, consequentemente, maior enchimento/enroncamento no futuro. Por isso, será necessário aguardar o recebimento dos novos dados geotécnicos e desenho de nova solução, que busca uma alternativa de bombeamento sem o dique intermediário. Já o lançamento no dique principal continua avançando.

No dia 4 de maio foi reparado o sistema de leitura de turbidez da água, possibilitando o início do estudo do novo gatilho de turbidez. A solução será proposta em breve à Câmara Técnica de Rejeitos.

Começou, ainda, a aplicação da geomembrana na Bacia 01, etapa necessária para possibilitar o início da dragagem para a Fazenda Floresta.

Já o descomissionamento do setor 5C (parte do setor 5) em fase final. O setor 5 ainda receberá material dragado em junho.

Outra atividade finalizada foi a instalação da instrumentação do Barramento C, possibilitando leitura e monitoramento da estabilidade da estrutura. Foi concluída, ainda, a planta provisória de polímeros, que é responsável pelo tratamento do efluente que retornará ao Rio Doce. Isso possibilitará a dragagem para Fazenda Floresta em junho.

Além disso, começaram em 18 de maio as obras de implantação do Lava Rodas.

Os serviços de dragagem dos setores 1 e 5 (fase 1) atingiram o volume de 21.200m³ dragados. O volume inicialmente previsto era de 17.000 m³.

Foi realizada reunião com a Secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). Durante o encontro, foi definido que será feito licenciamento separado para autorizar a supressão vegetal.
Começou, ainda, a construção do aterro do Dique Principal.

As comunidades de Santana do Deserto (município de Rio Doce), de Merengo (Santa Cruz do Escalvado), e Biboca (São José do Goiabal), localizadas à jusante da Usina Hidrelétrica Risoleta Neves (Candonga), participaram de simulados de evacuação durante o mês. Além disso, foi realizada uma abordagem de porta em porta em imóveis isolados. Além de receber orientações de segurança para situações de emergência, os proprietários receberam materiais orientativos.

O volume de chuva registrado no mês de março foi acima da média histórica, impactando os prazos das atividades. O volume previsto de rejeito dragado na Fase 1 (setor 1 e 5) em março (36,7 mil m³) teve de ser reprogramado para 5.902m³. Os serviços finais do barramento C também foram reprogramados e o cronograma está sendo revisto coletivamente, com o Consórcio Candonga, IBAMA, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e Câmaras Técnicas de Engenharia e Obras e de Rejeitos.

Com foco nos riscos associados ao planejamento das obras para Recuperação do Reservatório, foram realizadas análises do cronograma, utilizando a técnica do Range Analysis. Já está programada para o mês de março uma segunda rodada, utilizando esse mesmo método.

Como parte do processo concorrencial para aquisição de equipamentos móveis e contratação de serviços de fiscalização de dragagem, foram realizadas visitas técnicas a campo e a previsão é que em março a requisição de compras e ordem de serviços dessas contratações sejam emitidas para as empresas selecionadas.

Foram iniciadas pesquisas para realização de desmonte de rocha e britagem na Pedreira Corsini, para construção dos diques intermediário e principal, já que a pedreira da Fazenda Floresta se mostrou inexplorável.

Foi iniciada a mobilização da empresa que vai operar a planta de polímeros.

Os serviços para impermeabilização da Bacia 01 com geomembrana foram contratados e também foi iniciado o fornecimento da Calha Parshal.

O volume de chuva registrado no mês de fevereiro foi acima da média histórica e isso impactou negativamente os prazos para execução das estruturas na Fazendo Floresta e a liberação de setores para recebimento dos sedimentos.

Durante o período, foram dragados cerca de 19.865,09m³ dos sedimentos depositados no trecho entre a UHE Risoleta Neves e o Barramento A na retomada dos serviços. Os serviços de dragagem da Fase 1, setor 1, foram retomados e a travessia da tubulação de PEAD no rio do Peixe foi concluída.

Em Candonga (MG), o foco continua nos serviços de dragagem e recuperação das margens do reservatório e na construção das estruturas de tratamento de efluentes dragados na Fazenda Floresta.

Em decorrência de chuvas significativas no mês de dezembro, que danificaram as ombreiras esquerda e direita do Barramento C, a conclusão da construção do barramento foi postergada para março de 2018. A execução dos reparos nas ombreiras está em andamento e o retrabalho na ombreira direita já foi concluído.

O descomissionamento do Setor 8, que inclui a compactação e encapsulamento do solo que ficará abaixo da cota de alagamento do reservatório, continua em execução com os serviços de bioengenharia.

Ainda em janeiro, por recomendação da AECOM (auditoria do MPE), os serviços de aterro nos diques intermediário e principal foram paralisados para verificação das fundações das estruturas. Nova autorização para retomada dos serviços foi concedida em 29 de janeiro.

A Fundação Renova continua aguardando a autorização da Semad e da Agência Nacional de Águas (ANA) para realizar a manipulação de polímero dentro da Área de Preservação Permanente.

A ausência de área de disposição fez com que os trabalhos de dragagem ficassem paralisados durante todo o mês de dezembro. A dragagem acumulada entre julho e dezembro de 2017 (261.408 m³) está abaixo do planejado (315.000 m³). Os serviços de tratamento em encostas foram iniciados, visando a proteção dos taludes nas margens do reservatório e nos diques da Fazenda Floresta, que objetivam a preparação para o enchimento do reservatório.

Foram dragados 34.561 m³ de sedimentos depositados no trecho entre a UHE Risoleta Neves e o Barramento A.

Em Candonga (MG), o foco continua nos serviços de dragagem e recuperação das margens do reservatório e na construção das estruturas de tratamento de efluentes na Fazenda Floresta.

Foi finalizada a instalação da estrutura metálica para construção do Barramento C, que fará parte do sistema de contenção do rejeito implantado dentro do reservatório da UHE. Ela completa mais uma etapa do programa de manejo de rejeitos, evitando o carreamento de rejeitos da barragem de Fundão até a foz do rio Doce.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) assinou, em 22 de novembro, o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que autoriza a construção da Bacia 01 da Fazenda Floresta dentro de Área de Preservação Permanente (APP).

Continua em andamento o descomissionamento do Setor 8, que inclui a compactação e encapsulamento do solo que ficará abaixo da cota de alagamento do reservatório.

Em novembro, foram iniciados os serviços de plantio em encostas, para a proteção dos taludes nas margens do reservatório e nos diques da Fazenda Floresta.

A Renova continua aguardando autorização da Semad e da Agência Nacional de Águas (ANA) para manipulação de polímero dentro da Área de Preservação Permanente, documento necessário para a retomada das atividades de enchimento de ecobags.

Os planos de enchimento do reservatório da UHE Risoleta Neves e de dragagem de manutenção para a Fase 2 foram entregues. Entre as atividades previstas, foram dragados 27.134 mil metros cúbicos dos sedimentos depositados no trecho entre a Usina Hidrelétrica Risoleta Neves e o Barramento A.

Em Candonga, o foco continua nos serviços de dragagem e recuperação das margens do reservatório. Foi finalizada a instalação da estrutura metálica para construção do Barramento C, que fará parte do sistema de contenção do rejeito implantado dentro do reservatório. A barreira reduzirá o carreamento de rejeitos da barragem de Fundão até a foz do rio Doce.

No reservatório da Usina, foi lançada a draga B50, equipamento que fará a dragagem de sedimentos para as estruturas de armazenamento da Fazenda Floresta, local adquirido pela Fundação Renova. Outra iniciativa relevante foi o início do descomissionamento do Setor 8, que inclui a compactação e encapsulamento do solo, que ficará abaixo da cota de alagamento do reservatório.

Na Fazenda Floresta, foram iniciados os serviços de drenagem superficial dos diques. As atividades de enchimento dos ecobags no Setor 4 estão suspensas, aguardando autorização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD) e da Agência Nacional de Águas (ANA) para manipulação de polímero dentro da Área de Preservação Permanente.

Ainda não foi emitido, pela SEMAD, o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Bacia 01 da Fazenda Floresta. O documento é necessário para a conclusão do prazo de dragagem, em julho de 2018, conforme determinado pelo CIF, para o início do enchimento definitivo do reservatório de Candonga.

Em 16 de outubro, as obras de reparação na região da Usina foram paralisadas devido às manifestações de moradores das comunidade de Rio Doce e Santa Cruz, que alegam atraso no pagamento de indenizações. A questão está em análise por órgãos como Prefeituras e Ministério Público.

Foram dragados cerca de 52,3 mil m3 de sedimentos depositados no trecho entre a UHE Risoleta Neves e o Barramento A.

Em Candonga, os serviços de recuperação das margens do reservatório foram iniciados e a primeira estaca metálica do Barramento C, terceira estrutura em construção para contenção do rejeito entre Fundão e a Usina, foi cravada.

Após autorização para retomada das atividades e desativação do campo de futebol da Fazenda Floresta, a empresa responsável pelas obras de terraplenagem foi mobilizada e os serviços de terraplenagem no local do novo campo de futebol, no distrito de Santana do Deserto (MG), foram finalizados.

Também foi realizada a primeira solda na tubulação da linha que transportará o material dragado do reservatório de Candonga até a Fazenda Floresta.

Foram dragados cerca de 76,3 mil metros cúbicos de sedimentos depositados no trecho entre a Usina Hidrelétrica Risoleta Neves e o barramento A.

Como solução para o tratamento dos rejeitos dragados, foi protocolado na Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento (Semad) o memorial descritivo, que propõe a utilização de reagentes (coagulantes e polímeros) nos bolsões que receberão o material. O plano piloto para o teste desses polímeros também foi protocolado na Semad para início da dragagem na área de armazenamento temporário de rejeito localizada às margens do reservatório.

A Prefeitura Municipal de Rio Doce (MG) emitiu uma “autorização precária” permitindo a retomada das atividades na Fazenda Floresta. Com isso, os serviços de supressão vegetal foram reiniciados e o pedido de compra de brita e rocha para as estruturas da Fazenda foi concluído.

A Prefeitura de Rio Doce autorizou o início da remoção do campo de futebol da Fazenda Floresta e a construção de outro campo em novo local a ser definido.

As atividades de terraplenagem e implantação da linha de tubulação de polietileno (PEAD), que transportará o material dragado do reservatório da usina até a Fazenda Floresta, foram iniciadas.

Para a construção do barramento C, além da entrega da primeira carga de tubos metálicos, foram iniciadas as atividades de terraplenagem. Já no barramento A, a concretagem dos tirantes das estacas metálicas foi concluída.

Início do processo de negociação com a Prefeitura de Rio Doce, em Minas Gerais, para a emissão de uma “autorização precária” para a retomada dos serviços na Fazenda Floresta até que o “Alvará de Execução de Obras” seja emitido.

O Conselho Municipal do Patrimônio Artístico e Cultural (COMPAC) realizou uma visita na Fazenda Floresta para a retirada do campo de futebol do processo de tombamento histórico. A área do novo campo de futebol está em desapropriação pela Prefeitura Municipal de Rio Doce.

Entrega do relatório de ensaios de uso de reagentes na Secretaria de Estado de Meio-Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), que marca o ponto de partida para a utilização de polímeros nos ECOBAGS e nas estruturas de tratamento de efluentes da Fazenda Floresta.

Início dos serviços de terraplenagem do barramento C e abertura de duas novas frentes de disposição de rejeitos dentro da área alagada do reservatório da Usina Hidrelétrica Risoleta Neves, setores 03 e 06.


Compartilhar:

Fotos e vídeos do programa

Tenha acesso a fotos e vídeos sobre este programa da Fundação Renova.

Deixe seu comentário