Fundação Renova

Fórum de Educação para a Revitalização da Bacia do Rio Doce reúne sociedade civil e gestores públicos em prol de uma educação transformadora

Publicado em: 01/11/2018

Educação Ambiental

O evento aconteceu nos dias 17 e 18 de outubro em Colatina (ES) e em 24 e 25 na região do Vale do Aço (MG)

 

Escolas, prefeituras, organizações não governamentais (ONGs), atingidos, Comitês de Bacia Hidrográficas, membros da Câmara Técnica de Educação, Cultura, Turismo e Lazer, universidades, representantes do governo e Fundação Renova atuando juntos em prol de uma educação ambiental transformadora, que visa à constituição de uma cultura de sustentabilidade para a revitalização do rio Doce. Esse é o objetivo do Programa 33, apresentado durante o 1º Fórum de Educação para a Revitalização da Bacia do Rio Doce, realizado nos dias 17 e 18 de outubro em Colatina (ES) e nos dias 24 e 25 de outubro na região do Vale do Aço (MG).

Escolas, prefeituras, organizações não governamentais (ONGs), atingidos e Fundação Renova participaram do 1º Fórum de Educação para a Revitalização do Rio Doce | Foto: Jefferson Rocio

Em Colatina, o evento reuniu cerca de 100 pessoas, que debateram os desafios e os cenários futuros desejados com a implementação do Programa. Depois foi a vez de dialogar com os atores de Minas Gerais. O Fórum acontecerá anualmente e constitui-se como um espaço de reflexão sobre a educação para a revitalização e de monitoramento das ações do Programa.

Construído a partir de etapas colaborativas e com a cooperação de diversas instituições e agentes envolvidos no processo de Educação e Revitalização, o Programa 33 terá a duração de dez anos. As ações propostas serão implementadas em 45 municípios atingidos pelo rompimento da Barragem de Fundão.

“O Programa de Educação para Revitalização da Bacia do Rio Doce nasceu a partir de um processo de construção coletiva, e em atendimento à cláusula 172 do Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC), com a preocupação de promover processos educativos que permitam que mais pessoas conheçam e compreendam sua realidade e o que a produz, criando coletivos para promover as transformações socioambientais que entenderem necessárias. A educação é um eixo transversal de legado da Fundação Renova e é indutor de inúmeras outras transformações que podemos vir a empreender ao longo da Bacia do Rio Doce”, afirmou Juliana Machado, da Gerência de Estratégia e Programas de Longo Prazo da Fundação Renova.

Nos dois encontros — em Colatina e no Vale do Aço —, o público pôde visitar a exposição de experiências e boas práticas, onde foram expostos vinte projetos diferentes relativos à revitalização da bacia do rio. Cada estande apresentava uma experiência e os expositores estavam disponíveis para explicar as ações e resultados até o momento. Durante o Fórum, também foi feito o lançamento oficial do livro “Prosa e Troca de Saberes”, cuja proposta da publicação surgiu com o início da elaboração do Programa. As práticas presentes no livro são fruto da chamada de Experiências e Boas Práticas de Educação e Revitalização de Rios. Das mais de 60 que atenderam à chamada, 39 participaram do Encontro de Prosa e Saberes, em setembro de 2017, no Parque Estadual do Rio Doce.

Outro momento importante foi a divisão dos participantes em três grupos de trabalho para debaterem a atuação do Programa de Educação para Revitalização do Rio Doce nos seus três eixos: formação de educadores e escolas experimentais; formação de lideranças jovens; e fortalecimento de redes e de políticas públicas para revitalização. Todo o Fórum foi pontuado por muito diálogo, troca de vivências e dinâmicas que promoveram a conexão humana e de propósitos rumo a um futuro melhor para a bacia do rio Doce.

Os participantes aprovaram a oportunidade de discussão coletiva do Programa. “Participar desse momento de diálogo e troca de informações e concepções acerca do acontecimento em torno do rio é algo muito importante. O que nos uniu nesses dois dias foi o amor pelo rio Doce e a vontade de revitalizá-lo e trazê-lo novamente para uma situação mais favorável para nossa vida. O diálogo é muito importante em educação. O que a gente quer de verdade é que tudo o que a gente discutiu aqui possa ser colocado em prática, para que o nosso rio volte a viver”, ressaltou Claudia Tarden, coordenadora de Projetos Educacionais da Secretaria Municipal de Educação de Colatina.

Deixe seu comentário