Fundação Renova

Espírito Santo recebe mais de R$ 422 milhões em recursos da Agenda Integrada

Publicado em: 24/08/2021

Agenda Integrada

No estado, a maior parte do recurso é destinada à execução de obras de infraestrutura em rodovias e em escolas públicas

 

A Fundação Renova concluiu o repasse dos recursos compensatórios previstos nos acordos da Agenda Integrada assinados com 38 municípios impactados pelo rompimento da barragem de Fundão (MG) e com os governos de Minas Gerais e do Espírito Santo. No estado capixaba foram desembolsados mais de R$ 422 milhões para investimentos em escolas públicas estaduais e municipais e em estradas.

 

Infraestrutura

Para o Espírito Santo, a maior parte dos repasses, da ordem de R$ 365 milhões, será destinada à área de infraestrutura para a execução de três trechos rodoviários na foz do rio Doce: ES-010, entre Vila do Riacho e Regência; ES-440, entre a BR-101 e Regência; e ES-248, entre a ES-358 e Povoação. No total, os investimentos vão envolver obras em 153 km de rodovias nos dois estados.

 

Educação

Na área de educação, a aplicação de recursos pretende contribuir para a qualidade de vida da população atingida, especialmente crianças e jovens. Estão previstos investimentos da ordem R$ 34,6 milhões para a educação pública capixaba.

Os recursos para educação foram distribuídos de acordo com a população de cada cidade. Para investimentos na educação pública de quatro municípios do Espírito Santo foram destinados R$ 23 milhões.

Veja como serão aplicados os recursos da Agenda Integrada e para saber todos os detalhes dos repasses, acesse o site: https://www.fundacaorenova.org/agenda-integrada/

 

Agenda Integrada

A Agenda Integrada é uma ação em conjunto entre a Fundação Renova, os governos de Minas e Espírito Santo, com a participação do Fórum dos Prefeitos do Rio Doce. A iniciativa destinou os repasses para investimentos em educação, infraestrutura e saúde na região impactada. Os depósitos começaram a ser realizados em agosto do ano passado, com a primeira parcela, da ordem de R$ 455,7 milhões. Em janeiro de 2021, foram depositados mais R$ 248,5 milhões. A terceira parcela, da ordem de R$ 124,3 milhões, foi depositada em juízo, dentro do prazo previsto, no último dia 21 de julho. No total, os repasses atingiram R$ 828,5 milhões.

Pelo acordo judicial homologado na 12ª Vara Federal, cabe à Fundação Renova realizar os depósitos judiciais dos valores acordados, para que as ações previstas sejam executadas pelos entes públicos correspondentes – governos estaduais e municipais. A responsabilidade pela condução das obras cabe a esses entes. À Fundação Renova cabe apenas o repasse dos recursos, etapa concluída agora com o depósito da terceira parcela.

Este conteúdo foi útil para você?

2 comentários

    Muito produtivo só não entendo tantos recurso sendo liberado pra educação escolar e asfalto e nosso bairro nem esgoto nem calçamento e a escola sem recursos pra nós ajuda com nossos filhos moro aqui na eu orla de Itaparica de Santa Cruz de Aracruz em fim milhares de pessoas recebeu e nos que não podemos nem mais pesca e não tenho outro meio de trabalho porque hoje já estou até doente aqui no meu bairro ninguém bebi da água da Cezan por calsa da contaminação mais nem todo mundo tem condições e saúde pra busca água da bica eu bebo da torneira e tô cada dia mais doente só esperando que eu receba minha indenização antes deu morre pra deixa meus filhos seguro porque eu não tenho mais esperança de que eu vou me recuperar esse minerio acabou com minha saúde só isso que eu espero

    Responder

    Ei, Agneelia. A Fundação Renova permanece dedicada ao trabalho de reparação dos danos provocados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), propósito para o qual foi criada. Cerca de R$ 20,83 bilhões foram desembolsados nas ações de reparação e compensação pela Fundação Renova, até o momento. As indenizações e Auxílios Financeiros Emergenciais (AFEs) pagos a atingidos de Minas Gerais e do Espírito Santo chegaram a R$ 9,36 bilhões, para mais de 373,3 mil pessoas.

    Foi concluída a implantação da restauração florestal em áreas onde houve depósito de rejeitos, e a água do rio Doce pode ser consumida após tratamento. Também foi concluído o repasse de R$ 830 milhões para os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo e 38 municípios para investimentos em educação, infraestrutura e saúde. A Fundação Renova destaca ainda que o relatório preliminar da perícia judicial realizada nos trabalhos de reparação constatou que, nos casos em que o escopo de trabalho dos programas foi definido com clareza pelo sistema de governança participativo, a reparação apresenta avanços.

    Você pode acompanhar as ações da Fundação Renova, através do nosso site: https://www.fundacaorenova.org/dadosdareparacao/.

    Responder

Deixe seu comentário