Fundação Renova

Especialistas falam da experiência na implantação de Unidades Demonstrativas (UDs) na região atingida

Publicado em: 16/07/2019

Uso Sustentável da Terra

Bate-papo aconteceu ao vivo e contou com a participação dos profissionais responsáveis pela implantação das UDs

Na última quinta-feira, 11 de julho, recebemos para mais um bate-papo os especialistas  responsáveis pelo projeto “Renovando Paisagens” na Fundação Renova. Vitor Herméto, da frente de Uso Sustentável da Terra e responsável pelo projeto, conduziu a conversa com Cláudio Pontes, especialista em Silvicultura do WRI Brasil; Martin Meier, especialista em Sistemas Agroflorestais do Centro Internacional de Pesquisa Agroflorestal – ICRAF e Flávio Baracho, especialista em Manejo de Pastagem Ecológica da Fazenda Ecológica

Mutirão de implantação de uma das Unidades Demonstrativas no território

A conversa começou com Vitor fazendo uma contextualização do projeto e do programa de retomada de atividades agropecuárias atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão, no qual está inserido. O programa atende mais de 200 propriedades – cerca de 9 mil hectares em área –  distribuídas nos municípios de Mariana, Barra Longa, Ponte Nova, Santa Cruz do Escalvado e Rio Doce, em Minas Gerais. Com uma abordagem de desenvolvimento rural sustentável, todas as ações do programa levam em consideração o contexto ambiental, econômico, social e cultural em que as propriedades estão inseridas. “Essa retomada deve ser economicamente viável, ambientalmente adequada e socialmente justa”, afirmou Herméto. Vitor também apresentou as características da região. “Com baixa diversidade econômica, a maior parte das cidades é abastecida por grandes centros de distribuição. Cerca de 65% do território é composto por pastagem, que normalmente não é manejada e com a cobertura florestal removida. Estas ações resultam em erosão, diminuição da qualidade e disponibilidade de água ao longo do ano.”, contextualizou. 

Claudio Pontes, especialista em Silvicultura do WRI Brasil, começou sua fala contextualizando a atuação da instituição no projeto. Com extensa experiência em aplicação de projetos de Silvicultura de Espécies Nativas com finalidade econômica, o WRI convidou o Centro Internacional de Pesquisa Agroflorestal – ICRAF para implementar as UDs de Sistemas Agroflorestais (SAFs) e a Fazenda Ecológica para implementar as UDs de Manejo de Pastagem Ecológica. Ao todo são 25 fazendas-modelo, sendo 15 de pastagem, 5 SAFs e 5 de silvicultura. 

Cláudio também explicou como funciona o modelo de silvicultura para fins econômicos e contou como foi a implementação no território. “A mobilização contou com palestras e demonstrações de como as Unidades Demonstrativas funcionam. Além disso, estabelecemos critérios e pontuamos quais propriedades tinham maior potencial para receber as tecnologias.”, contou Pontes. Acesse a apresentação: silvicultura_uds

Martin Meier, especialista em Sistemas Agroflorestais do Centro Internacional de Pesquisa Agroflorestal – ICRAF, também apresentou como funciona a tecnologia. “A ideia é retrabalhar áreas degradadas com o objetivo de restaurar a estrutura natural original. Sistemas em que o homem procura acelerar o que já acontece na natureza. A missão do ICRAF é que se aproveitem os múltiplos benefícios que as árvores podem trazer não só para os sistemas agropecuários, mas também para questão da resiliência do meio ambiente.”, explicou. Acesse a apresentação: sistemas_agroflorestais_uds 

Com o maior número de Unidades Demonstrativas no projeto tratando de Manejo de Pastagem Ecológica, Flávio Baracho, da Fazenda Floresta também falou sobre a tecnologia, que, em resumo, alia a criação de animais e o plantio de árvores para a melhoria da produtividade e conservação dos territórios. “Ao plantar árvores você beneficia a nutrição do capim e beneficia também o animal, que, ao estar na sombra, deixa de gastar energia para manter sua temperatura corporal. Além disso, facilita a retenção da água no solo, diminui a erosão.”, contou Flávio. Ao trazer o manejo de pastagem ecológica para o território, o objetivo é o aumento de produção, a melhora do manejo, de forma a aumentar o bem estar tanto da população quanto do rio e o meio ambiente como um todo. Acesse a apresentação: pastagem_ecologica_uds

Veja o vídeo na íntegra: 

Deixe seu comentário