Fundação Renova

Defesas civis de quatro municípios mineiros se capacitam para aprimorar o atendimento à população

Publicado em: 20/04/2022

Mercado de trabalho , Território Alto Rio Doce , Território Mariana

Profissionais de Mariana, Barra Longa, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado iniciaram os cursos de Gestão e Segurança Pública

No dia 29 de março, 50 agentes das defesas civis de Mariana, Barra Longa, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado, em Minas Gerais, iniciaram os cursos tecnólogos de Gestão e Segurança Pública para aprimorar o atendimento oferecido à população. Com aulas ministradas pelo Polo Unopar Mariana, os profissionais vão aprofundar seus conhecimentos em prevenção, preparação, mitigação e resposta em situações emergenciais.

A iniciativa faz parte do Ciclo de Formação Continuada, uma parceria da Fundação Renova, das defesas civis e do Polo Unopar Mariana. O projeto inclui cursos de curta duração, graduação e pós-graduação, com uma especialização em Gestão de Risco e Desastre, que será oferecida em 2023 àqueles que se formarem nos cursos tecnólogos e tiverem interesse em seguir com os estudos.

Para o coordenador da Defesa Civil de Barra Longa, Leonardo Roldão, o conhecimento adquirido vai se transformar em benefícios para a população. “A iniciativa vai qualificar os agentes para desenvolver as atividades do dia a dia. Com uma equipe mais capacitada e engajada, poderemos oferecer um atendimento mais eficaz e levar mais conhecimento à comunidade”, afirma Leonardo.

“Os cursos foram definidos de acordo com as necessidades da rotina dos agentes das defesas civis. Esperamos contribuir para que a região se torne mais consciente de ações preventivas e preparada para situações adversas”, destaca Tereza Cristina Moraes, especialista do Programa de Preparação para Emergências Ambientais, da Fundação Renova.

Repasse de recursos 

Ao todo, foram repassados R$ 9 milhões em recursos para aprimoramento das estruturas e atendimento à população. Desse valor, R$ 4,5 milhões foram destinados ao município de Mariana. Já Barra Longa, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado receberam R$1,5 milhão cada. Esse valor é destinado à construção e reforma das sedes do órgão e para compra de itens como viaturas e drones. Os recursos foram repassados à 12ª Vara Federal, responsável pelos encaminhamentos aos municípios.

 

Este conteúdo foi útil para você?

13 comentários

    Muito bom.
    EU não recebi ainda mais espero receber.
    Deus cuida de vcs.

    Responder

    Olá, Leonita. Trabalhamos para reparar todos aqueles que têm direito à compensação financeira. Cada caso é analisado individualmente, por meio dos programas criados para cuidar dos processos de ressarcimento.
    Para preservar os seus dados pessoais e a confidencialidade das informações que são sigilosas e não podem ser compartilhadas por aqui, recomendamos que você entre em contato com um dos nossos canais de relacionamento.
    Assim, com a ajuda de um profissional treinado, você poderá receber as informações sobre o andamento da sua demanda.
    Fale pelo telefone 0800 031 2303 ou em nosso site, acessando o Fale Conosco: https://www.fundacaorenova.org/fale-conosco/.

    Responder

    Eu era garimpeiro pescava para consumo e venda

    Responder

    A Fundação Renova não renova nossas vidas, nossos rios, nossa fauna e muito mrnos nossos sonhos.

    Responder

    Olá, Débora. Gostaríamos de esclarecer que fomos criados, em 2016, para implementar os programas de reparação e compensação da bacia do Rio Doce, estabelecidos no Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado pela Samarco, Vale, BHP e Governos Federais de Minas Gerais e do Espírito Santo.

    Trabalhamos para reparar e compensar os danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana. Estamos desenvolvendo diversas ações, por meio de 42 programas, voltadas às pessoas e comunidades atingidas em Minas Gerais e no Espírito Santo.

    Até o momento, R$ 20,83 bilhões foram destinados para ações de reparação e compensação, e R$ 9,36 bilhões pagos em indenizações e auxílios financeiros para cerca de 373,3 mil pessoas.

    Você pode acompanhar sobre as ações em nosso site: https://www.fundacaorenova.org/dadosdareparacao/.

    Responder

    As cifras apresentadas são muito grandes. Mas gostaria que fosse apresentado um mata mostrando o que foi destruído e o que foi recuperado. Não importa investir 500 trilhões de reais e deixar o eco sistema destruído, espécies extintas, populações à deriva e mananciais arrasados. Os acionistas podem gostar das altas cifras, para o planeta não significa nada, não ressuscita nenhum fungo sequer.

    Responder

    Olá, Andrea. A Fundação Renova permanece dedicada ao trabalho de reparação dos danos provocados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), propósito para o qual foi criada. Cerca de R$ 20,83 bilhões foram desembolsados nas ações de reparação e compensação pela Fundação Renova, até o momento. As indenizações e Auxílios Financeiros Emergenciais (AFEs) pagos a atingidos de Minas Gerais e do Espírito Santo chegaram a R$ 9,36 bilhões, para mais de 373,3 mil pessoas.

    Foi concluída a implantação da restauração florestal em áreas onde houve depósito de rejeitos, e a água do rio Doce pode ser consumida após tratamento. Também foi concluído o repasse de R$ 830 milhões para os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo e 38 municípios para investimentos em educação, infraestrutura e saúde. A Fundação Renova destaca ainda que o relatório preliminar da perícia judicial realizada nos trabalhos de reparação constatou que, nos casos em que o escopo de trabalho dos programas foi definido com clareza pelo sistema de governança participativo, a reparação apresenta avanços.

    Você pode acompanhar as ações da Fundação Renova, através do nosso site: https://www.fundacaorenova.org/dadosdareparacao/.

    O que for direito,a empresa vai solucionar cada um., Basta agente colocar na mão do Senhor Jesus, espero, porque os profissionais sao capacitados e com muita competência,eu confio na responsabilidade de cada um.

    Responder

    Olá, Wardene. As compensações financeiras realizadas aos atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão (MG) são calculadas de forma individual, leva em consideração as particularidades dos casos e acontece por três frentes: pelo Programa de Indenização Mediada (PIM) para atingidos com danos comprovados em atividades econômicas; pelo Auxílio Financeiro Emergencial (AFE) para pessoas que sofreram impacto direto na atividade econômica ou produtiva; e por meio do Sistema Indenizatório Simplificado para casos de difícil comprovação. Você pode conferir mais informações sobre os pagamentos realizados, acessando: https://www.fundacaorenova.org/dadosdareparacao/.

    Responder

    Quando vo receber

    Responder

    Olá, Adrian. Todas as informações e o esclarecimento de dúvidas sobre compensação financeira são fornecidas por meio dos nossos Canais de Relacionamento, uma vez que prezamos pela confidencialidade das informações dos atingidos, que são sigilosas e não podem ser informadas em redes sociais públicas.

    Entre em contato pelo telefone 0800 031 2303, ou no Fale Conosco, em nosso site: https://www.fundacaorenova.org/fale-conosco/.

    Responder

Deixe um comentário para Wardene