Fundação Renova

Avançam as obras de reassentamento em Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo

Publicado em: 21/06/2022

Reassentamentos , Território Mariana

Famílias serão auxiliadas na mudança para os novos distritos

Neste ano, será iniciada a preparação das famílias para a mudança para suas casas no reassentamento. Hoje, em Bento Rodrigues, 47 casas estão concluídas e outras 103 estão em construção; em Paracatu de Baixo, são 32 casas com obras iniciadas.

As casas nos reassentamentos estão em diferentes etapas de construção, da fase de projeto a alvenaria, e cada casa segue um padrão único As diferentes fases acontecem porque cada família segue seu tempo no processo de reassentamento.

A situação das obras entre os reassentamentos também seguiu o tempo de cada comunidade. Apesar disso, a preparação para a mudança vale tanto para as famílias de Paracatu de Baixo quanto as de Bento Rodrigues. 

Confira as etapas de cada reassentamento:

Etapas dos reassentamentos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo

Atualmente, em Bento Rodrigues, além das casas, quatro bens de uso coletivo, Postos de Saúde e de Serviços, Escola Municipal e Estação de Tratamento de Esgoto estão finalizados e dois estão em construção. Em Paracatu de Baixo, a maior parte das ruas está iluminada. Desde o final de abril, a rede de energia elétrica foi instalada no trevo das vias São Caetano, Gualaxo e Monsenhor Horta. As obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), da Estação de Tratamento de Água (ETA) e dos reservatórios (apoiados e elevados) seguem avançando.

A Estação Ferroviária de Monsenhor Horta, distrito próximo ao reassentamento de Paracatu de Baixo, segue sendo restaurada. A obra foi estabelecida pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Mariana (COMPAT), por meio de condicionante ambiental, tendo em vista o risco de impactos no distrito de Monsenhor Horta, em função da construção do reassentamento de Paracatu de Baixo.

Acesse o Tour Virtual na página de Reassentamentos e acompanhe o andamento das obras em Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo: https://www.fundacaorenova.org/reassentamentos/ 

Este conteúdo foi útil para você?

2 comentários

    Primeiro destroem, matam e 07(sete) anos depois começam a reconstruir. Isso é o mínimo de racionalidade, proporcionalidade e dignidade aos atingidos. Nós pecadores do município de SERRA no ES samos solidários a essas famílias e vamos até o fim para ser indenizados. Os bairros de JACARAÍPE, MANGUINHOS, BICANGA E CARAPEBUS tb aguarda esse ressarcimento. Uma vez que todo município litorâneo do município foi reconhecido judicialmente. Inúmeros processos judiciais avançam e a fundação pouco está fazendo.

    Responder

    Olá, Renato. Agradecemos o seu contato.
    Atuamos com a missão de restabelecer – ou deixar o mais próximo possível do que eram antes do rompimento – os modos de vida e a organização social das comunidades atingidas, considerando os aspectos ambientais, sociais, econômicos, patrimoniais, urbanísticos e culturais.

    Por isso, as decisões são tomadas a partir do diálogo. Não há projetos impositivos. Todas as etapas são construídas em conjunto com as famílias, as comissões de atingidos e as assessorias técnicas e acompanhadas de perto pelo Ministério Público.

    A tomada de decisão vertical certamente reduziria prazos, mas provavelmente não consideraria necessidades e desejos das comunidades. Saiba mais sobre as ações em nossa plataforma: https://www.fundacaorenova.org/.

    Responder

Deixe seu comentário