Fundação Renova

Linha do Tempo

Setembro de 2021

20/09/2021

Projeto-piloto desenvolvido pela Fundação Renova é contemplado em premiação que reconhece soluções inovadoras em países do BRICS

Os resultados consolidados do projeto-piloto de renaturalização, solução adotada pela Fundação Renova na reparação ambiental da bacia do rio Doce, têm demonstrado eficiência em restaurar as condições naturais do rio. De forma sustentável e com baixo impacto de intervenção, o projeto garantiu o segundo lugar na premiação BRICS Solutions for SDGs Awards 2021, que reconhece trabalhos de impacto realizados nos países do bloco, que é composto por África do Sul, Brasil, China, Índia e Rússia, e que ajudam, por meio de projetos inovadores e soluções de base tecnológica, a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS).  
17/09/2021

Presidente da Fundação Renova apresenta os avanços na reparação da bacia do rio Doce em congresso da IUCN

A cidade de Marselha, na França, sediou, entre os dias 3 e 10 de setembro, o Congresso da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). O evento, que estava programado para 2020, e foi adiado devido à pandemia da Covid-19, reuniu órgãos governamentais, ONGs, cientistas e representantes de povos indígenas. O presidente da Fundação Renova, Andre de Freitas, participou remotamente do Congresso, que aconteceu de forma híbrida, participando de duas plenárias temáticas.  
15/09/2021

Proprietários rurais e Fundação Renova promovem reflorestamento de áreas de preservação permanente (APPs)

As Áreas de Preservação Permanente (APPs) têm funções importantes para a conservação do meio ambiente. Para que seja recuperada uma área de 1 hectare, aproximadamente 1.112 mudas são plantadas durante a época de chuvas. Apenas no próximo período chuvoso é possível avaliar a evolução para definir as próximas ações: enriquecer o local com novas espécies ou plantar novamente as mudas iniciais. O esperado é que cerca de 10% a 20% das mudas não se desenvolvam. Quando há presença do gado na APP essa taxa ultrapassa 50%, podendo chegar a 100%. Isso equivale a uma perda acima de 500 mudas por cada hectare.