A reparação até aqui – 2016/2020

Quase cinco anos depois do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), o processo de reparação da bacia do rio Doce, conduzido pela Fundação Renova, prossegue em várias frentes de trabalho. Tem sido uma missão complexa e desafiadora, tanto pela magnitude dos impactos quanto pelas múltiplas características sociais, culturais e econômicas da região, que abrange dois estados (Minas Gerais e Espírito Santo) e 39 municípios, onde vivem aproximadamente 4 milhões de pessoas. Esta plataforma traz um balanço dos resultados das ações até aqui. E o trabalho continua.

Números e indicadores mostram a dimensão do trabalho realizado

Até setembro de 2020, foram destinados R$ 10,10 bilhões para as ações de reparação. Desse valor, cerca de R$ 2,65 bilhões foram pagos em indenizações e auxílios financeiros emergenciais para cerca de 321 mil pessoas.

A construção dos reassentamentos avança. Até dezembro de 2020, deverão estar concluídas, em Bento Rodrigues, em Mariana (MG), 95% das obras de infraestrutura de vias, posto de saúde, posto de serviços e escola. Em Paracatu de Baixo, também em Mariana (MG), a meta é concluir todo o acesso principal, além dos serviços de terraplenagem, redes de drenagem profunda, esgoto e adutora de água tratada em áreas que concentram a maioria das edificações.

O monitoramento hídrico indica que as condições da bacia são hoje semelhantes às de antes do rompimento, e a água do rio Doce pode ser e está sendo consumida após tratamento convencional. Mais de 150 propriedades rurais recebem ações para a retomada de suas atividades. Foram 800 hectares de plantio emergencial,113 afluentes recuperados e cerca de 1.500 nascentes com o processo de recuperação iniciado. Com o apoio de mais de 25 universidades e 40 ONGs e parceiros, cerca de 6.000 pessoas trabalham dia e noite em parceria com a Fundação Renova na reparação da bacia do rio Doce.

Além dos trabalhos de reparação, a Renova também coordena ações com recursos compensatórios, com foco principalmente em iniciativas estruturantes, de impacto coletivo e de longo prazo. Mais de R$ 600 milhões foram disponibilizados para projetos de construção e melhoria da coleta e do tratamento de esgoto e disposição adequada de resíduos sólidos em 39 municípios da bacia do rio Doce. Para auxiliar os municípios na elaboração e gestão dos projetos de saneamento, as prefeituras recebem apoio técnico e capacitação da Renova.

Outros R$ 830 milhões estão sendo repassados aos governos de Minas Gerais e Espírito Santo e prefeituras da bacia do rio Doce para ações de infraestrutura, saúde e educação. O repasse promoverá a reestruturação de mais de 150 km de estradas nos dois Estados, de cerca de 900 escolas em 39 municípios e do Hospital Regional de Governador Valadares (MG), além de possibilitar a implantação do Distrito Industrial de Rio Doce (MG).

O ano de 2020 está sendo especialmente desafiador para o processo de reparação em curso na bacia do rio Doce. A pandemia da Covid-19, que provoca impactos de diferentes naturezas no Brasil e no mundo, também exigiu a readequação das ações da Fundação Renova. Foi preciso repensar como o trabalho da reparação pode avançar neste novo contexto. Apesar dos desafios impostos, seguimos em frente com senso de urgência e responsabilidade.

Navegue nessa plataforma e conheça os resultados da reparação até aqui.