Fundação Renova

Água


QUALIDADE DA ÁGUA

A água do rio Doce pode ser consumida após passar por tratamento convencional em sistemas municipais de abastecimento. É isso que indicam os mais de 1,5 milhão de dados gerados anualmente por um dos maiores sistemas de monitoramento de cursos d’água do Brasil, criado pela Fundação Renova em 2017 para monitorar o rio Doce.

  1,5 milhão de dados gerados anualmente
  80 parâmetros físicos, químicos e biológicos são analisados na água
  40 parâmetros são avaliados nos sedimentos

A qualidade da água é analisada antes e depois de passar pelas Estações de Tratamento de Água (ETAs). A verificação, de responsabilidade das concessionárias locais, acontece em mais de 300 pontos espalhados em 30 municípios antes de a água ser distribuída para a população.

YouTube video

Os resultados do monitoramento da água na bacia do rio Doce estão disponíveis para consulta no portal Monitoramento Rio Doce, uma ação do Programa de Monitoramento Hídrico, conduzido pela Fundação Renova sob supervisão do Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA-PMQQS), ligado ao Comitê Interfederativo (CIF). Para divulgar os dados levantados pelo monitoramento, foi criado o Boletim das Águas. O material traz informações sobre a qualidade da água bruta (sem tratamento), níveis de metais encontrados e índices técnicos, entre outros dados, em formato mensal e trimestral. Todos os meses são disponibilizados dados sobre o monitoramento dos rios Gualaxo do Norte, Carmo e Doce. E, a cada três meses, informações sobre o monitoramento das lagoas, estuários e zona costeira.

Para saber mais sobre as ações de reparação executadas pela Fundação Renova, clique nos links abaixo.

 

DADOS DA REPARAÇÃO


PORTAL MONITORAMENTO RIO DOCE


Boletins de qualidade da água


Expedição Rio Doce


PERGUNTAS FREQUENTES

Notícias

Compartilhar:

Deixe seu comentário